+351 916 868 984 visimelp@ese.ipsantarem.pt

Simpósio 30

SIMPÓSIO 30 – LITERACIAS ACADÉMICAS MULTIMODAIS

 

Coordenadora:

Clara Ferrão Tavares | Instituto Politécnico de Santarém-ESSE / GERFLINT (Groupe d’études et de recherches pour le français langue internationale) | ferrao.clara@gmail.com

 

Resumo:

A multimodalidade é uma das características da ação e da comunicação sobre a ação e na ação. Pensamos e falamos com o corpo. O gesto precede a verbalização e, quando nos «falta» um vocábulo, as nossas mãos e o nosso corpo «vão à sua procura», na memória, através de gestos de natureza ilustrativa e metafórica, sem que, frequentemente, tenhamos consciência desse processo multimodal. A diversidade de modos de processar a informação e comunicar, nos nossos dias, implica uma complexificação desse processo.

As tarefas de comunicação académicas e profissionais que implicam a interação dos indivíduos com as tecnologias geram efeitos neurológicos, cognitivos, afectivos, relacionais, empáticos… que, nem sempre, estarão a ser equacionados na formação de professores e outros profissionais da comunicação. As alterações no tempo e no espaço que se estão a produzir modificam as condições de enunciação dos discursos multimodais que se desenrolam, frequentemente em simultâneo, sob forma contraída e deslocalizada, sem que a Escola se tenha adaptado a essas mudanças e antecipado os efeitos por elas produzidos, também de natureza multimodal, nos novos públicos.

Com efeito, o termo «multimodalidade», aparece raramente em programas de unidades curriculares do ensino superior. No entanto, os estudantes devem adquirir «competências que lhes permitam comunicar informação, ideias, problemas e soluções, tanto a públicos constituídos por especialistas como por não especialistas» (Decreto-Lei 74/2006) ou, por outras palavras, desenvolver uma literacia multimodal. Em situações de defesa ou de apresentação pública de trabalhos académicos, nem sempre há sinais evidentes de que os estudantes tenham desenvolvido suficientemente essas competências. Além disso, nas situações de procura de emprego, os estudantes revelam dificuldades na adoção de formatos multimodais exigidos pelos empregadores.

Neste Simpósio, procurar-se-á responder às questões seguintes:

  • em que consiste a multimodalidade?
  • quais as marcas de multimodalidade nos discursos académicos?
  • como desenvolver a literacia multimodal dos estudantes do ensino superior?

Ferrão Tavares, C. 2013. « D’hier à aujourd’hui (et demain ?) : un parcours de recherche en didactologie des langues-cultures sur la communication ». Synergies Portugal, nº 1, pp. 91-117.

http://gerflint.fr/Base/Portugal1/Article5Tavares.pdf

 

Palavras-chave: literacias académicas, comunicação, multimodalidade, diversidade de modos.

 

Minibiografia:

Clara Ferrão Tavares

Doutorada em Didactologia das Línguas-Culturas (Universidade de Paris III, Sorbonne Nouvelle) e Agregada em Educação (Universidade de Aveiro). Professora coordenadora com agregação aposentada da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém. Membro do CIDTFF da Universidade de Aveiro (até 2014). Autora de obras e artigos em Didáctica das Línguas-Culturas e Ciências da Comunicação. Directora da Revista Intercompreensão (até 2012). Redatora da Revista Synergies Portugal, Revista do GERFLINT. Perita da A3ES (Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior).

http://www.a3es.pt/sites/default/files/clara_ferrao_tavares.pdf

 

 

Resumos dos trabalhos aprovados

Comunicação 1

A MULTIMODALIDADE EM PRÁTICAS DE LETRAMENTOS ACADÊMICOS DESENVOLVIDAS POR DOCENTES NA EDUCAÇÃO SUPERIOR TECNOLÓGICA

Autores:

Adriana Fischer – FURB – afischerpirotta@gmail.com

Marilene Assis Mendes – FURB – malenalispector01@gmail.com

 

Resumo:

As mudanças decorrentes do avanço tecnológico digital proporcionaram transformações significativas nas formas de interação entre as pessoas. A comunicação hoje pode ocorrer através de uma diversidade de recursos e da utilização cada vez maior de uma multiplicidade de linguagens (falada, gestual, escrita, visual, sonora etc.). Entende-se a multimodalidade como um fenômeno que compreende a diversidade de linguagens presentes nos textos. Tal fenômeno tem sido intensificado a partir das tecnologias digitais da informação e comunicação e tem atravessado os diferentes contextos sociais, bem como o educacional. Assim, cabe à escola preparar o aluno para interagir de maneira satisfatória numa sociedade cada vez mais multimodal. Nesse sentido, apresentamos um recorte da pesquisa cujo objetivo é compreender como a multimodalidade está sendo trabalhada na educação profissional, mais especificamente em cursos superiores de tecnologia. Como fundamentação teórica buscamos amparo em Lévy (1999) sobre cibercultura; Bakhtin (2010) sobre as interações dialógicas e a construção de sentidos; Lea; Street (2010), sobre letramentos acadêmicos; Kress; van Leeuwen (2006), sobre multimodalidade; e algumas considerações sobre práticas pedagógicas e formação docente em Marcelo (2010) e Nóvoa (2009).  A presente pesquisa é de cunho qualitativo (BOGDAN; BIKLEN, 1994), com viés etnográfico (ERICKSON, 1989; LILLIS, 2015) e foi realizada a partir da inserção de uma das pesquisadoras em práticas pedagógicas desenvolvidas numa instituição de educação superior tecnológica localizada no interior do Ceará – Brasil. Através da observação de aulas e de entrevistas semiestruturadas, os dados foram selecionados e analisados. Como resultados, apontamos que, apesar de demonstrarem uma percepção incipiente à importância da multimodalidade na educação, os professores vêm desenvolvendo práticas de letramento com os alunos que abordam uma diversidade de linguagens, visando prepará-los para um uso mais competente das múltiplas linguagens no contexto social.

Palavras-chave: Multimodalidade; Letramentos acadêmicos; Prática docente; Educação superior e tecnológica.

 

Minibiografias:

Adriana Fischer – Doutora (2007) e Mestre (2001) em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina. Docente do Departamento de Letras e do Mestrado em Educação da FURB – Blumenau. Foi Investigadora Auxiliar no Centro de Investigação em Educação (CIEd) da Universidade do Minho, Braga – Portugal (2009-2011). Pesquisa os seguintes temas: ensino superior e letramentos, formação de professores de língua portuguesa, ensino e aprendizagem de gêneros discursivos.

Marilene Assis Mendes – Mestranda em Educação na FURB – Blumenau. Ocupa o cargo de Técnico em Assuntos Educacionais do IFCE. Especialista em Educação a Distância: Fundamentos e Ferramentas (2015), e em Metodologias para o Ensino de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira (2008), pela Universidade Estadual do Ceará. Pesquisa os seguintes temas: letramentos acadêmicos, letramento digital, educação a distância, oralidade no ensino de língua portuguesa.


Comunicação 2

Multimodalidade em práticas de letramentos acadêmicos: cruzando currículo(s) e gêneros(s) da formação docente em Língua Portuguesa

Autora:

Flávia Danielle Sordi Silva Miranda – Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL) / Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) – flaviasordi@gmail.com

 

Resumo:

A partir de reflexões decorrentes dos resultados de minha pesquisa de doutorado e de minha posição como professora-pesquisadora do Ensino Superior, insiro-me no diálogo estabelecido por este simpósio acerca de letramentos acadêmicos multimodais. Ao assumir a inerência da multimodalidade às práticas vivenciadas dentro e fora da universidade, procuro discutir sobre as implicações do(s) currículo(s) e dos gêneros nele(s) oportunizados para um curso de formação de professores de Língua Portuguesa em uma universidade pública brasileira. O trabalho filia-se ao campo da Linguística Aplicada e tenciona problematizar, por meio do acompanhamento e análise de produções multimodais de universitários – também professores em formação –, articulações entre o design de cursos superiores e a abordagem da multimodalidade, o que ainda não tem sido realizado de modo integrado e benéfico (LEA, 2004), gerando até conflitos diante das novas práticas tecnológicas vivenciadas pelo público de alunos a ser atendido, futuramente, por esses profissionais. Justifica-se, assim, a necessidade deste trabalho como subsídio para a promoção de práticas letradas acadêmicas que se concentrem na multimodalidade. Como embasamento teórico, evoco os estudos em Letramentos Acadêmicos (LEA; STREET, 1998) articulados com estudos sobre multimodalidade (KRESS, 2010; LEA; 2004, RIBEIRO, 2016) voltados para uma discussão da(s) realidade(s) brasileira. A metodologia aplicada foi qualitativa para o tratamento de dados formados pelas produções multimodais dos sujeitos e “conversas” sobre suas experiências em fórum on-line. Como resultados puderam ser observados (i) os ganhos em se promover a produção de gêneros multimodais em disciplinas do Ensino Superior; (ii) a importância de se considerar/ensinar/discutir elementos multimodais, como recursos semióticos integrados, nesses gêneros e, portanto, (iii) a necessidade de disciplinas específicas, que abordem a multimodalidade, nos cursos de formação de professores. Finalmente, defendo que as necessidades identificadas no contexto, poderão ser dirimidas por um projeto de curso de formação de professores fundamentado no modelo de letramentos acadêmicos.

Palavras-chave: Multimodalidade; Letramentos Acadêmicos; Formação de Professores; Currículos; Gêneros.

 

Referências bibliográficas:

KRESS, G. Multimodality: a social semiotic approach to contemporary communication. London: Routledge, 2010.

LEA, M. Academic literacies: a pedagogy for course design. In: Studies in Higher Education, v. 29, n. 6, p. 739-756, 2004.

______.; STREET, B. Student writing in higer education: na academic literacies approach. Studies in Higher Education, v. 23, n. 2, p. 157-172, 1998.

RIBEIRO, A. E. Textos multimodais: leitura e produção. São Paulo: Parábola Editorial, 2016.

 

Minibiografia:

Doutora e mestra em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas e graduada em Letras-Português pela mesma instituição. É professora e pesquisadora do Ensino Superior e membro dos grupos de pesquisa “Escrita: ensino, práticas, representações, concepções” (desde 2010) e “ALLE/AULA – Alfabetização, Leitura e Escrita/Trabalho Docente na Formação Inicial” (desde 2016). Autora de artigos em escrita, letramentos acadêmicos, tecnologias, formação docente e multimodalidade.


Comunicação 3

RECURSOS LINGUÍSTICOS MULTISSEMIÓTICOS EM TEXTOS SOBRE A URNA ELETRÔNICA

 

Autora:

Edilan Kelma Nascimento Sousa – Universidade de Brasília (UnB) – edilankelma@gmail.com

 

Resumo:

Esta pesquisa tem como objetivo analisar os recursos Multissemióticos presentes em textos sobre a urna eletrônica, publicados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e pelo grupo Revoltados Online nas páginas do Facebook. O aporte teórico empregado para análise se baseia em autores como Kress e Van Leeuwen (2006 [1996]), Fairclough (1999), Vieira e Silvestre (2015), Ormundo (2009) e Carvalho (2013). Constituem o corpus de análise linguística textos sobre a urna eletrônica coletados na rede social Facebook. Dividimos o corpus em dois grupos: A e B. No primeiro grupo, estão as imagens retiradas da página institucional do TSE e, no segundo grupo, imagens retirada de página aberta.  Nesse sentido, com o aporte teórico da Teoria da multimodalidade, da Semiótica e da Análise do Discurso Crítica (ADC), este artigo analisa esses textos. As eleições no Brasil são uma das práticas sociais que fazem parte da nossa cultura. De dois em dois anos o Brasil vivencia esse evento. Se olharmos o histórico das eleições após a ditadura, veremos que as eleições 2014 foram as mais acirradas. A metodologia utilizada para analisar os textos multissemióticos sobre urna eletrônica é de natureza qualitativa Flick (2009); Dezin e Lincoln (2006). Os procedimentos adotados foram os seguintes: primeiro, selecionamos o tema “urna eletrônica” por ter tido evidência durante uma das práticas sociais que comumente temos, as eleições no Brasil, e pela relevância alcançada dentro dessa prática, especificamente no período eleitoral aqui analisado, o ano de 2014. Segundo, investigamos a construção dos sentidos nos textos multimodais, sobre a urna eletrônica, produzidos no contexto ‘Ano Eleitoral 2014’ por produtores de diferentes seguimentos. Conforme já intitulamos, classificamos em dois grupos: A e B. É bem verdade que o contexto em que se deram as práticas discursivas analisadas foi essencial para o correto entendimento dos fatos.

Palavras-chave: multimodalidade; urna eletrônica; ADC; discurso.

 

Minibiografia:

Edilan Kelma Nascimento Sousa é aluna de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade de Brasília (UnB), na área de Linguagem e Sociedade. Especialista em Revisão de Texto (Uniceub) e em Português Jurídico (Processus). Foi professora de Língua Portuguesa de Educação Básica da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal – SEDF (2008-2010). Atualmente trabalha com Revisão de Texto no Tribunal Superior Eleitoral.


Comunicação 4

SENTIDOS EM PRÁTICAS DE LETRAMENTO ACADÊMICO E LITERACIA MULTIMODAL EM  UM CURSO DE PEDAGOGIA (EAD)

Autora:

Jeime Andreia Dávalo Gonçalves – Mestranda FURB- Universidade Regional de Blumenau / Bolsista UNIEDU- Programa de Bolsas Universitárias de Santa Catarina – deia.davalo.goncalves@hotmail.com

 

Resumo:

Diante das mudanças tecnológicas, culturais e ideológicas com as quais interagem os sujeitos, destacamos a necessidade de comunicação e as linguagens diversas e semióticas que coexistem e dialogam entre si nas diversas esferas sociais. Este trabalho que traz à luz dados parciais de uma pesquisa maior direcionada ao Letramento Acadêmico busca vestígios da literacia multimodal (VIEIRA;SILVESTRE, 2015); (FERRÃO, 2012, 2013, 2016) além de sentidos atribuídos por licenciandos a essas práticas de letramentos.  A pesquisa mais abrangente de onde procedem os dados para esse trabalho, caracteriza-se como uma pesquisa qualitativa, tendo como instrumentos de geração de dados a  entrevista semiestruturada e o diário de campo, dos quais se originam os excertos para as nossas análises. Sob a perspectiva da análise enunciativa do círculo de Bakhtin (BAKHTIN 2003, 1999), (FARACO 2009), (BRAIT, 2007), e dos novos estudos do letramento (STREET, 2014, 2010, 2007; ZAVALA, 2010), relacionaremos esse trabalho sobre letramento acadêmico que não deve ser visto como neutro e transparente, com os letramentos multimodais que hoje são  presentes e necessários por contas das mudanças vivenciadas pelos sujeitos que necessitam se comunicar nos mais diversos contextos (KOMESU; GALI, 2015),(SILVA, SOUZA, CIPRIANI, 2015); (FERRAZ, 2008). Com base nos dados analisados, pode-se constatar durante o transcorrer da pesquisa que o texto impresso desponta em importância e presença na voz dos sujeitos pesquisados, e que a linguagem corporal e postura dos sujeitos durante a socialização das atividades refletem questões ideológicas de identidade e relação de poder no meio acadêmico.  Durante a elaboração e socialização das atividades, os acadêmicos fazem uso de múltiplas semioses e as novas tecnologias podem ser observadas como uma ferramenta ou auxílio durante o processo de autoaprendizagem dos acadêmicos que ainda apegados ao texto impresso pouco refletem e se posicionam diante das questões e problemáticas ali apresentadas.

 

Bibliografia:

BAKHTIN, Mikhail. Estética da Criação Verbal. Martins Fontes. São Paulo. 2003.

BAKTHIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo. Hucitec. 1999

BRAIT, Beth, Bakhtin conceitos-chave. São Paulo. Contexto. 2007

FARACO, Carlos A. Linguagens e diálogo: As ideias linguísticas do círculo de Bakhtin. São Paulo. Parábola. 2009

FERRÃO, T. C. Abordagem Acional e competência comunicativa multimodal: estaleiro de apresentações de trabalhos acadêmicos. Intercompreensão nº16. UIIPS,IPS.(2012).ISSN 0872-3893, ISBN 978-972-762-230-9. Pp85-11

FERRÃO, T. C. D’hier à aujourd’hui (et demain ?) : un parcours de recherche en didactologie des langues-cultures sur la communication (2013)

Fonte: http://gerflint.fr/Base/Portugal1/Article5Tavares.pdf

FERRÃO, T. C.  L’intéressant et le démonstratif : à propos des zones de proximité des communications médiatiques et académique. Synergies Europe 10. Hommage à Louis Porcher (2016). Fonte: http://gerflint.fr/Base/Europe10/ferrao_tavares.pdf

FERRAZ, J.A. Gêneros multimodais: novos caminhos discursivos. VIII ENIL/Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas–Universidade de São Paulo.2008.

KOMESU, F.; GALLI, F. C. S. Práticas de leitura e escrita em contexto acadêmico: Relações (hiper) textuais singulares. Raído, v. 8, n. 16, p. 79-93, 2014.

Fonte: http://www.periodicos.ufgd.edu.br/index.php/Raido/article/view/3750 Acesso: 03 de junho de 2015.

SILVA, S; SOUZA, F; CIPRIANI: Textos Multimodais: Um novo formato de Leitura. Linguagem (Re)Vista, vol 10, n.19.Niterói, jan.- jun. 2015);

STREET, B. V. Dimensões “escondidas” na escrita de artigos acadêmicos. 2010. Fonte:https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/viewFile/2175-795X. 20 10 v28n2p541/18448

STREET, B.V. Letramentos Sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento,  na  etnografia e na educação. Tradução Marcos Bagno, São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

STREET, B. Perspectivas interculturais sobre o letramento. Filologia e Linguística Portuguesa. São Paulo, v. 8, p. 465-488, 2007. Disponível: www.revistas.usp.br/flp/article/download/59767/62876. Acesso 01 de julho de 2015.

VIEIRA J.; SILVESTRE, C. Introdução a multimodalidade: Contribuições da gramática sistêmico funcional análise de discurso crítica  semiótica social. Brasília- DF. 2015

 

Palavras-chave: Letramento Acadêmico; Literacia Multimodal; Ensino a Distância.

 

Minibiografia:

Mestranda em Educação- Universidade Regional de Blumenau (FURB), Linha de pesquisa Linguagem e Educação; Especialista em Gênero e Diversidade na escola-  Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci; Tutoria no ensino superior- Centro Universitário Leonardo da Vinci.


Comunicação 5

GÊNERO MULTIMODAL: ESTRATÉGIA DE LEITURA AOS DISCENTES

 

Autora:

Luciana Aparecida Boaventura DE Oliveira Ignácio  – PUC/SP – luboaventura03@hotmail.com

 

Resumo:

Esta comunicação tem por objetivo ressaltar a importância da educação linguística através de textos multimodais, bem como criar estratégias de leitura em sala de aula, pois o processo de ensino e aprendizagem tem exigido cada vez mais atenção especial para a leitura e compreensão do discurso e do texto, em que predomina uma multiplicidade de linguagens, de culturas, de mídias. Aproximar o discente da leitura, ressaltando o seu perfil linguístico, social, cultural e econômico. Foi analisada a propaganda “pasta dentifrícia da marca odol” e o discurso de cunho ideológico e cultural de sua época (1917), explanação do léxico ao retratar a língua portuguesa antigamente e suas mudanças, e a abordagem ao dias atuais com as contribuições dos discentes ao relacionar de acordo com o seu meio. Os elementos imagéticos e também a linguagem verbal como recursos que dialogam entre si, criando efeitos de sentido. Vale ressaltar que vivemos na era imagética e aproveitamos esse momento para evidenciar o recurso iconográfico como instrumento que pode agregar aos programas escolares com o intuito de aproximar o discente de sua língua materna. Para realizar a comunicação oral, a proposta baseia-se nos seguintes autores: Rojo (2011), Kress; Van Leeuwen (1996), Bahktin (2003), e Kleiman (2007). Contribui-se para aproximação do discente à leitura e a construção dos elementos que propiciem as variadas linguagens, pois a pluralidade no contexto escolar tem tornado mais próximo o entendimento entre autor-texto-leitor. A linguagem privilegia diversas modalidades da escrita e torna-se relevante a análise desse gênero (multimodal) sob nova perspectiva. O ensino pretende formar alunos críticos e conscientes do meio em que vivem. Integrá-los e apropriá-los das práticas de leitura e escrita com o intuito de utilizá-las socialmente, atribuindo-as às demandas sociais de sua utilização.

Palavras-chave:  Ensino; Gênero Multimodal; Propaganda; Letramento.

 

Minibiografia:

Luciana Aparecida Boaventura de Oliveira Ignácio formada em Letras, pós-graduada, mestranda em Língua Portuguesa PUC/SP, pesquisadora do CNPq, professora há 10 anos na Rede Estadual de Ensino dos Estado de São Paulo.


Comunicação 6

Ensino de língua portuguesa para disléxicos e superação dos problemas linguísticos por meio da multimodalidade

Autora:

Luísa Barbosa de Lima – Universidade de Brasília – luuisabl@gmail.com

 

Resumo:

Transtorno de aprendizagem de base neurobiológica que afeta de 10 a 15% da população mundial, a dislexia é a causa de grande discrepância entre a capacidade

intelectual do disléxico e o frágil desempenho em leitura e escrita. Por terem um

funcionamento cerebral diferente dos demais, os disléxicos necessitam de estratégias de ensino alternativas para aprender, como o uso de imagens. Iedema (2003) apresenta a multimodalidade como um termo que destaca a importância da semiótica com o foco em modalidades como imagem, música e gestos. Também concebe a ressemiotização como a tradução de recursos semióticos de um meio a outro, fornecendo, dessa forma, meios analíticos para investigar como essa mudança acontece. O objetivo deste trabalho é analisar o processo de  ressemiotização em atividade de produção de texto aplicada junto a aluno disléxico, procurando identificar quais processos estão presentes na interpretação

de imagens e consequente produção escrita. Serão usados os pressupostos teóricos da Linguística Funcional Centrada no Uso (LFCU) e os conceitos: cognição, linguagem, texto, língua, disponíveis em Cezário & Furtado da Cunha (2013) e Bybee (2010). Outra base teórica utilizada será Kress e Van Leewen (2006), Iedema (2003), Cuba dos Santos (1987) e Ianhez & Nico (2002). A metodologia empregada será a qualitativa (BORTONIRICARDO, 2008). Nos possíveis resultados do trabalho, estão a reflexão a respeito da aplicação da multimodalidade no ensino não só voltado aos disléxicos, o estímulo à criatividade e às associações por parte dos estudantes disléxicos e maior motivação por parte dos discentes.

Palavras-chave: Dislexia; LFCU; multimodalidade; leitura; escrita.

 

Minibiografia:

Graduada em Letras Português (bacharelado/licenciatura) pela Universidade de Brasília em 2013. Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Linguística da UnB e bolsista CNPq.